17 de nov de 2010

Os Homens Alados e as Misteriosas Figuras do Continente Sul-Americano


Diversas estatuetas, ou “huacos”, relacionados às culturas de Nazca, Paracas e Tiahuanaco, foram encontradas no Perú. Sua antiguidade, pode ser avaliada entre 700 e 1000 a.C.. Estas estatuetas representam “homens-alados” – homens voando no dorso de répteis voadores pré-históricos. A arqueologia nos indica, de forma nebulosa e evasiva, que isto poderia tratar-se de uma “manifestação mitológica-religiosa”.
       Não sei, mas avaliamos os fatos: junto a estes “huacos”, também estavam dispostos outros “huacos”, pertencentes às mesmas culturas, os quais, no entanto, representam com a mesma perfeição e fidelidade, momentos do cotidiano destes povos como caças, cenas familiares, religiosas e de festas etc. Esta perfeição e fidelidade na hora de representar momentos de seu cotidiano não deve ter sido estimada só para uma parte destes “huacos”, mas sim para a totalidade deles. Se as civilizações de ParacasNazca e Tiahuanaco tinham se dado ao trabalho de imortalizar estes homens alados, deve ser simplesmente porque estes “homens” faziam parte de sua “bagagem” histórico-cultural ou do ritmo diário de suas vidas. Necessariamente, aqueles povos sabiam de outros povos que tinham a capacidade de voar.
       A isto soma-se o fato de na região existirem figuras “desenhadas” no solo que só se tornam visíveis do ar. Não é suspeito que tais figuras e tais desenhos se encontrem na mesma região – figuras de “homens-alados” e desenhos que só podem ser vistos do alto?
       Como explicar a “coincidência” destas figuras de “homens-alados” representados em argila, em Nazca e seres que voam no dorso de animais pré-históricos em Ica?