24 de jan de 2013

Mutilações - O Caso Lady

Alamosa, estado do Colorado, USA -  Lady era uma égua da raça apaloosa, um dos animais favoritos da fazenda de Harry King. Ela foi vista em 7 de setembro de 1967, pela ultima vez , quando pastava na propriedade. Ela se mostrava saudável e ativa. No dia seguinte, foi notada a ausência do animal e começaram as buscas pela propriedade. Outros dois cavalos foram encontrados, pastando normalmente. Foram encontradas pegadas dos três animais que seguiam juntas até certo ponto, onde se separavam. As pegadas de Lady terminavam abruptamente alguns metros depois. No dia 9, a 30 metros do final da pegada foram encontrados os restos da égua. Ela estava descarnado do pescoço para cima, ficando os ossos da cabeça à mostra. O esqueleto, nesta parte estava branco e limpo, sem resquício de carne ou tecidos. Parecia até que tinha sido exposto ao Sol por vários dias. Notou-se que o corte era extremamente preciso e limpo. Nem mesmo nos arredores do animal havia restos de carne ou couro. Também não havia sangue espalhado. No crânio, faltava o cérebro.
 
Dentro do animal havia uma substância verde, que ao entrar em contato com as mãos de Nellie King, proprietária do animal, produziu uma dor intensa que permaneceu por uma semana. O patologista John Henry Althuler, constatou que todos os órgãos internos estavam ausentes. Altshuler, doutor em patologia e hematologia, na ocasião recusou-se a revelar os exames realizados no animal. O início dos anos 90, ele decidiu revelar os exames feitos, pois muitos casos semelhantes estavam ocorrendo. Ele afirma: "Eu era jovem. Temia perder meu trabalho. Minha carreira terminaria ali se meus colegas soubessem que eu estava investigando estes fenômenos. (...) Quando me aproximei da égua vi que ela tinha um corte preciso, uma incisão limpa e vertical, nas bordas da qual havia uma cor escura, como se a carne tivesse sido aberta e cauterizada por um instrumento cirúrgico cauterizante, como um laser moderno. Mas, em 1967, não existia tecnologia para uma cirurgia laser como aquela. Quando, hoje em dia, cauterizamos para controlar o sangramento, a carne se mantém suave ao toque. Mas as bordas do corte daquela égua eram rígidos como couro endurecido. Retirei amostras dos tecidos destas bordas e, mais tarde analisei-as ao microscópio. No nível celular havia descoloração e destruição consistentes com as mudanças causadas por queimaduras(...) Mas o mais assombroso era a ausência de sangue. Realizei centenas de autópsias. É impossível cortar um corpo sem que se deixe algum sangue. Mas não havia sangue nenhum na pele, no animal ou no solo. Diversos órgãos haviam sido retirados. Era uma dissecação incrível de órgãos, sem nenhuma evidência de sangue".

A alguns metros do local havia alguns arbustos. Estes arbustos estavam achatados. No chão havia pequenos buracos no solo que aparentemente foram produzidos pelo peso de algum objeto no local. Foi constatado índices de radiação fora do normal, nas proximidades do local.

Várias pessoas da região observaram naquela época o aparecimento de OVNI`s. Agnes King, mãe do proprietário da fazenda observou um grande objeto passar sobre a casa na mesma noite do desaparecimento de Lady.

Por: David Muniz