25 de jul de 2011

Sineta de ouro de mais de 2 mil anos é encontrada em Jerusalém

Arqueólogos israelenses descobriram em Jerusalém uma sineta de ouro que data do século I a.C. e que, segundo os pesquisadores, pode ter pertencido a uma figura de destaque na escala social da época, como um sacerdote. A descoberta foi realizada em escavações feitas pela Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI) em um canal de escoamento que se iniciava nas denominadas Piscinas de Siloé, atravessava a Cidadela de David e hoje termina em um parque arqueológico adjacente ao Muro das Lamentações, na Cidade Antiga de Jerusalém.
Os diretores da escavação, Eli Shukron e o professor Ronny Reich, da Universidade de Haifa, estimam que "o pequeno sino devia estar cosido à roupa utilizada por uma pessoa de destaque de Jerusalém na época do Segundo Templo", relata um comunicado da (AAI). As pesquisas estão sendo realizadas no local que no século I era a principal rua de Jerusalém, que transcorria sobre o canal de escoamento onde foi achada a campainha.
A via partia das Piscinas de Siloé, entrava na Cidadela de David e chegava a um ponto conhecido hoje como "Arco de Robinson", no qual havia uma escada de vários lances pela qual os sacerdotes e peregrinos podiam ter acesso ao Templo de Jerusalém para rezar e conduzir sacrifícios. Os arqueólogos acreditam que o proprietário da sineta pode ter caminhado por essa rua da cidade e ter perdido a joia, que acabou indo parar no canal de drenagem. "Sabemos que os altos sacerdotes que serviam no templo usavam pequenos sinos de ouro que penduravam em suas túnicas", esclareceram os diretores das escavações.
    fonte: terra