11 de jan de 2011

Britânicos acreditam que cientistas deveriam achar aliens e cura para o câncer


Metade dos britânicos acredita em extraterrestres e quase 80% afirmam que o câncer é uma doença cuja vacina precisa ser descoberta. Os dados são de uma pesquisa realizada com 2.000 pessoas por uma das mais tradicionais instituições científicas do mundo, a Royal Society, pelos seus 350 anos de existência.
Na opinião de 66% dos entrevistados, a prioridade dos cientistas deveria ser o controle e a erradicação de doenças. Outros 53% disseram que gostariam de ter a vida prolongada como consequência dos avanços da ciência.

"A ciência é uma busca sem fim do conhecimento. Nos próximos 350 anos, nosso apetite para descobertas poderia levar à cura do câncer, à solução para a mudança climática e até à descoberta da vida extraterrestre", diz Martin Rees da Royal Society.
Depois do câncer, a prevenção contra o vírus HIV/aids é vista como um dos acontecimentos mais significativos (60%), seguida à da malária (37%).
Depois da medicina, a mudança climática é a segunda maior prioridade entre os entrevistados, principalmente entre os jovens de 18 a 24 anos, o que sugere uma maior preocupação sobre o aquecimento global entre as novas gerações.
A pesquisa indica ainda que aproximadamente 44% dos entrevistados acreditam em extraterrestres. E um terço deles pensa que os cientistas deveriam procurar ativamente pelos seres no espaço, além de fazer contato com eles. Contraditoriamente, a cada dez pessoas, somente uma indica que a exploração espacial deveria ser prioridade entre a comunidade científica.
FONTE: FOLHA