11 de jan de 2011

Bases extraterrestres e contatos decanos revelados na Itália

Caso excepcional de pessoas convivendo com alienígenas ainda nos anos 50

 
É possível que estejamos convivendo com espécies cósmicas sem consciência disso?
Um enigmático grupo de extraterrestres semelhantes a humanos, que estabeleceram bases subterrâneas na Itália e se reuniram com moradores locais, entre 1956 e 1978. 
O autor do livro Mass Contacts [Contatos em Massa, AuthorHouse, 2009], Stefano Breccia, ufólogo italiano, possui formação em engenharia elétrica e lecionou em várias universidades do país e estrangeiras. 
Ele investigou o Caso Amicizia [Amizade] durante várias décadas, tempo em que pôde conhecer e questionar muitas das principais testemunhas. Breccia incluiu o depoimento de Bruno Sammaciccia, um estudioso italiano altamente qualificado, com formação em psicologia e psiquiatria, autor de 160 livros. O testemunho de Sammaciccia contém suas reivindicações de contato físico direto com extraterrestres por longo periodo. 
O ufólogo Roberto Pinotti [Correspondente internacional da Revista UFO e autor do livro OSNIs: O Enigma dos Objetos Submarinos Não Identificados] escreveu o prefácio para a obra e reconheceu o seu próprio conhecimento do caso e das muitas provas que o sustentam. Algumas das fotos tiradas de UFOs e extraterrestres constam entre as de melhor qualidade já feitas. Em termos de impacto global, o número de participantes envolvidos e as provas documentais compiladas, é um dos casos mais surpreendentes de contato com extraterrestres na história moderna.
Pinotti descreveu seu espanto de ouvir seu professor da universidade falando sobre extraterrestres, enquanto prestava exame final de doutorado na Universidade de Florença, em 1969. Após se aproximar do mesmo, foi capaz de confirmar que "um grupo de extraterrestres vindos de estrelas distantes tinham construído uma grande estrutura subterrânea ao longo da costa do mar Adriático" 
Somente após o falecimento de Sammaciccia, em 2003, o ufólogo decidiu revelar a parte que conhecia dos fatos, "porque em seu testamento havia a solicitação de sua história ser divulgada, sem causar problemas para ninguém, eu sabia que era o meu dever de contribuir para a verdade, tanto quanto possível", declarou Pinotti.
A história começou em 1956, quando Bruno Sammaciccia e dois amigos encontraram-se com dois indivíduos misteriosos, que disseram ser extraterrestres. Um deles tinha mais de 2,45 metros de altura, enquanto o outro pouco mais de um metro. Os três amigos, inicialmente céticos, acabaram levados para uma base subterrânea, onde viram mais destas entidades.
crédito: masscontactinterview
A possível foto de um dos seres, com altura comparada a um humano de estatura mediana
A possível foto de um dos seres, com altura comparada a um humano de estatura mediana
Eles também presenciaram seus filhos [Dos ETs] serem educados, algumas das tecnologias avançadas que utilizavam e suas naves espaciais. Finalmente convencidos de que estavam realmente tendo contato físico com os alienígenas, começaram a ajudá-los, através de apoio material, organizando caminhões de frutas, alimentos e outros suprimentos, transportados e descarregados em uma base extraterrestre. Dois veículos carregados eram entregues todos os meses para bases em diferentes regiões da Itália, onde conviveram durante longos anos.
Sammaciccia descreveu as várias pessoas envolvidas no caso e as reuniões com os seres, na intenção de ajudar a humanidade a se preparar para a realidade dos "humanos extraterrestres". Breccia disse que conheceu pessoalmente e entrevistou cerca de 80 pessoas que trabalhavam ou conheciam os ETs. A maioria estava na Itália, mas havia de outros países, que também tinham sido expostos ao mesmo grupo.
Muitos dos extraterrestres poderiam facilmente se misturar na sociedade humana e até mesmo possuir empregos normais, quando necessário. O Caso Amicizia ajudaria a confirmar inúmeros outros que sempre falaram sobre outras espécies se misturando e andando entre nós.
Conflito e partida - mas um dia retornarão
Um violento conflito entre duas facções tentando influenciar o desenvolvimento da humanidade e do futuro foi levada adiante. Enquanto uma promovia unidade cósmica e desenvolvimento ético, a outra dava maior importância ao desenvolvimento tecnológico a todo custo. Isso levou a violentos confrontos periódicos entre as facções. As bases subterrâneas foram destruídas em 1978, segundo a história e investigação.
Os sobreviventes tiveram que deixar a Terra, mas prometeram voltar quando a humanidade estivesse pronta para um futuro mais ético, interagindo com os extraterrestres.
A surpreendente história soa como um episódio de Star Trek, mas é bem suportada por provas documentais, alguns dos melhores pesquisadores italianos e as testemunhas de primeira mão dos eventos descritos. Algumas das principais foram estadistas, estudiosos e personalidades da alta sociedade da Itália e da Europa. Breccia inclui uma série de prefácios e declarações destas, detalhando o grande número de pessoas envolvidas no caso.
Aqui citamos um excelente resumo de extensas evidências sobre visitantes não-terrestres que teriam vivido secretamente entre nós e interagiram durante um período de 22 anos com seus protagonistas. Quanto mais material e testemunhas surgirem, na Itália e outros países, o caso finalmente poderá confirmar a realidade da presença alienígena na Terra.