28 de dez de 2010

Churchill censurou relatório sobre Ovnis para evitar pânico

O primeiro-ministro britânico do período da Segunda Guerra, Winston Churchill, proibiu, por 50 anos, a divulgação de um suposto incidente com Ovni devido ao temor de que sua divulgação pudesse provocar pânico, segundo informações reveladas esta quinta-feira.
O neto de um oficial da Royal Air Force (Força Aérea britânica), que foi um dos guarda-costas pessoais de Churchill, escreveu ao ministro da Defesa briânico, em 1999, sobre o suposto incidente.
O relato dele e a alegada reação de Churchill foram revelados em documentos publicados esta quinta-feira pelos Arquivos Nacionais britânicos.
Segundo estes, o avô do homem escutou por acaso Churchill discutindo o suposto incidente com o general americano Dwight Eisenhower.
De acordo com relatórios atribuídos a Churchill, um avião de reconhecimento que voltava para a Grã-Bretanha de uma missão foi encoberto por um Ovni enquanto passava pela costa britânica.
A tripulação do avião contou ter fotografado o objeto, o qual afirmam ter “pairado ruidosamente” perto da aeronave, antes de partir.
“O sr. Churchill fez uma declaração sobre a (possível) repercussão (do caso), (destacando que) ‘este evento deve ser imediatamente censurado pois poderia criar pânico na população em geral e destruir a nossa crença na Igreja’”, diz uma carta que descreveria o suposto incidente.