6 de nov de 2010

Quer se tornar um Ufólogo Profissional?

Como se Tornar um Ufólogo Profissional  



Esse manual foi tirado do site EBE-ET


  Embora existam muitos passos importantes para se tornar um ufólogo amador, a pesquisa é o primeiro eles. Se você deseja ser um profissional no futuro, esse passo é o essencial. Se você está no primeiro ou segundo grau, preste atenção nas aulas de psicologia, mitologia, folclore, sociologia e ciências. Mesmo que você não tenha todas elas procurem encontrar pessoas interessadas em Ufos. As pessoas são as melhores ferramentas. A Internet é uma ótima fonte, mas a literatura é a melhor saída. Leia o maior número de livros possível. Leia livros escritos com diferentes pontos de vista, não somente o seu. Encontre livros sobre Ufos relacionados com a Bíblia, ocultismo e a criação. Compre livros escritos por céticos, crentes e fanáticos. Se você descobrir todos os pontos de vista, aprenderá a Ter a mente aberta para começar a interagir com as pessoas.


As pessoas freqüentemente têm diferentes interpretações do mesmo evento. Se alguma civilização antiga viu um ser alienígena, eles provavelmente o chamarão de deus. Se uma pessoa muito religiosa tiver um encontro imediato, dirão que viram um anjo. Tendo uma boa literatura para se espelhar já é um bom começo.

Depois procure um grupo ufológico que pensa como você. Quanto mais pessoas pensarem a mesma coisa, mais fácil será identificar um caso potencial. Você precisará aprender técnicas de observação, interrogatório e classificação.

Se você está desesperado para ver um UFO, mas não tem muito tempo na sua “agenda”, aqui vão algumas dicas:

·        Fique acordado até um pouco mais tarde. Os Ufos aparecem geralmente à noite;
·        Esteja no lugar certo. Lugares desertos são os melhores. Se você se encontra no nordeste, cidades satélites de Brasília, Chapadas ou no interior, as suas chances aumentarão. Se você não está em nenhuma dessas áreas vá dar uma volta de carro. Muitas pessoas têm seus avistamentos enquanto dirigem. Pilotos têm a tendência de ver muitos Ufos.
·        Seja paciente. Essa dica é bem importante. Quanto mais tempo você passar olhando para o céu, mais chances terá.

Uma vez observando um UFO, você deve pensar rápido. Você precisará de um caderno de anotações, lápis ou caneta, uma câmera e possivelmente um par de binóculos. Existem ferramentas básicas para um observador. O que quer que você faça, nunca pare de olhar. Muitas testemunhas dizem que quando desviam o olhar por segundos o objeto já sumiu. Fique atento para tudo que aconteça. Procure encontrar outras testemunhas oculares.


Sem alguém para comprovar a sua estória, você poderá ser desacreditado. Não tire conclusões precipitadas. O mais sábio a fazer é observar primeiro e depois pensar nas conclusões. Tire uma fotografia ou filme o objeto. Tente captar o quanto mais o cenário em volta (árvores, casas, carros, montanhas...). Isso provará que a sua fotografia é autêntica.

Uma vez que você ou alguém tenha visto um UFO, deve-se escrever logo um relatório. Aqui vão algumas perguntas básicas para o relatório:

-         Data do avistamento; hora do início e fim do avistamento e localização; onde você (ou a pessoa)  se encontrava; a área era rural, urbana; Havia postes de luz, aeroportos, rodovias, lagos, casas, árvores ou marcas de aterrissagem?
-         O tempo estava bom, nublado, chuvoso, nevando, nevoeiro; você viu a lua, estrelas, o sol, aviões, balões ou meteoros próximos?
-         Descreva o objeto que você viu; o que ele fez; aconteceu alguma coisa de estranho; desenhe o objeto que você viu ou os ocupantes.

Se você está conduzindo uma investigação, faça as seguintes perguntas à testemunha:

-         Você já teve essa experiência anteriormente?
-         Você está tomando algum tipo de medicamento?
-         Qual foi a sua reação ao encontro?
-         Como você se sentiu?
-         Você sentiu algum efeito colateral?
-         Você tem lido muito sobre Ufos ou visto algum filme?

Certifique-se de que a testemunha assine o relato. Uma das coisas mais importantes é saber se o UFO fez outras coisas. Veja se havia algum avião, helicópteros, luzes na área naquela hora.

Quando você não consegue encontrar qualquer explicação racional para o objeto, ele só pode ser um UFO.










 

KIT UFOLÓGICO


Antes de você conduzir qualquer investigação, tem alguns pequenos itens que serão de grande ajuda:

-         Blocos de anotações e caneta/lápis;
-         Câmera fotográfica e filmes (Câmera de vídeo);
-         Marcadores;
-         Fita métrica;
-         Luvas de borracha;
-         Pequenos e grandes sacos de lixo;
-         Espátula de jardim;
-         Régua;
-         Etiquetas.

A maioria dessa coisa você só utilizará se existir uma evidência de aterrissagem de UFO. Os marcadores e fita métrica servem para marcar a área isolando-a. As luvas, sacos, e a espátula são para coletar evidências. A régua, câmeras e etiquetas são para registrar e cadastrar as provas. O seu bloco de anotações deve conter tudo o que você viu e o que a(s) testemunha(s) disse(ram). Todas as testemunhas devem preencher o formulário de avistamento e ser interrogada. Desenhe um mapa da área e tire muitas fotografias. Tenha certeza de que todas as entrevistas sejam feitas em separado e depois compare os depoimentos. Lembre-se, todos os avistamentos devem ser relatados.

Sistema de Classificação do Encontro


Uma vez que você esteja preparado para começar as investigações, você precisará conhecer o sistema de classificação. Não é necessário, mas será de extrema ajuda quando você estiver se referendo a um tipo de caso ou arquivando os seus relatos.

Embora existam diferentes classificações, nós utilizaremos o sistema de classificação do Dr. Jacques Vallee e do Dr. Hynek.

-         Avaliação de Anomalias:

AN 1- Anomalias sem deixar efeitos (ex: estranhas luzes);
AN 2- Anomalias com efeitos (ex: grama marcada);
AN 3- Anomalias associadas a entidades (ex: fantasmas);
AN 4- Interação com entidades AN 3 (ex.: visões, experiências fora do corpo);

AN 5- Anomalias com machucados (ex: ferimentos inexplicáveis);

-         Avaliação de Manobras:

MA 1- Um UFO voa em trajetória descontínua (ex: vôos verticais);
MA 2- MA 1 com qualquer efeito físico de um UFO;
MA 3- MA 1, onde entidades são vistas a bordo;
MA 4- Manobras acompanhadas com alguma transformação da realidade
MA 5- Uma manobra que resulte sérios ferimentos ou morte da transformação;

-         Avaliação dos Vôos

FB 1- Avistamento simples de UFO voando em linha reta;
FB 2- FB 1 acompanhado de evidências físicas;
FB 3- Vôo onde as entidades são vistas a bordo;
FB 4- Transformações da realidade observadas pelas testemunhas;
FB 5- Vôo onde a testemunha sofre algum ferimento ou morre;

-         Avaliação da Credibilidade:

A primeira observação é a fonte de confiança, a Segunda é o local da aterrissagem e a terceira é a avaliação de possíveis explicações.

-         Confiança da Fonte:

0-    Desconhecida ou sem crédito;
1-    Relato atribuído a uma fonte não confiável;
2-    Fonte segura, mas de “segunda-mão”;
3-    Experiência em primeira mão;
4-    Entrevista com a testemunha com a fonte.

-         Avaliação do Local de Pesquisa:

0-    Nenhum local visitado ou desconhecido;
1-    Local visitado por uma pessoa qualquer não familiarizada com fenômeno;
2-    Local visitado por uma pessoa familiarizada com o fenômeno;
3-    Local visitado por um pesquisador experiente
4-    Local visitado por um especialista





-         Possíveis Explicações:

0-    Dados consistentes com uma ou mais causas alternativas;
1-    Explicação alternativa requer pequena modificação dos dados;
2-    Explicação alternativa requer grande alteração de um parâmetro;
3-    Explicação alternativa requer grandes alterações de vários parâmetros, e
4-    Não há explicação possível.