18 de dez de 2012

A Instalação Subterrânea - Uma Entrevista com Valery Uvarov


Os textos a seguir foram transcritos de uma entrevista filmada com Valery Uvarov, da Academia de Segurança Nacional da Rússia, conduzida por Graham W. Birdsall, Editor da Revista OVNI da Grã Bretanha. A entrevista aconteceu na 12º Reunião do Congresso Internacional de Ufologia e Festival de Filmes, em Fevereiro de 2003 em Laughlin, Nevada, EUA.
Valery Uranov
Por favor, observem que Graham Birdsall já faleceu e a Revista OVNI fechou.


Graham Birdsall (GB): Qual é o seu título oficial?
Valery Uvarov (VU:) Sou chefe da Repartição de Pesquisa OVNI, Ciência e Academia de Segurança Técnica, Nacional, fundada em St. Petersburg, Rússia.
GB: Esta então é uma agência oficial do governo russo?
VU: Absolutamente. Sou responsável e há duas pessoas que me comandam. Acima deles vem o nosso Presidente Putin. Os nossos esforços de pesquisa são divididos em duas partes. Em primeiro lugar, estamos analisando constantemente dados que entram de todas as partes do mundo. Então extraímos os que consideramos ser as informações mais interessantes através do nosso processamento de dados classificando o que é amarelo (alerta), que é vermelho 9de extrema urgência). Isto, então, é liberado a departamentos variados por toda Rússia. O outro aspecto da nossa pesquisa resultou da seguinte questão: Os OVNIs existem ou não? Com certeza, nós sabemos que eles existem, mas o que está por trás da sua atividade, quais são os seus interesses? Estas respostas são as mais importante para nós, e aquilo que nós concentramos mais em nossas investigações.
GB: Há cooperação ativa entre NASA e funcionários aeroespaciais russos a nível técnico/científico e talvez mesmo a nível militar?
VU: Posso dizer-lhe, de fato, que somente alguns dias antes que voei para os Estados Unidos tive um encontro com meu chefe... Permita-nos dizer, os meus chefes. E eles disseram estar muito interessados em cooperar com outras organizações... Nos permitido dizer algumas coisas a nossos amigos do Oeste. Assim, posso dizer-lhe que esta missão particular é ponto de partida para uma maior troca de informações. Minha missão é encontrar pessoal que estuda estes fatos. Quando isto for feito, e a fase seguinte será ativada, e poderemos dar alguns passos no futuro.
GB: Antes você estudou alguns desenvolvimentos importantes que tinham a ver com a explosão de Tunguska de 1908. Para registro, você pode nos dizer por que você agora acredita saber a causa?
VU: Não é um caso de opinião; sabemos o que o causou. Foi um meteoro, mas um meteoro que foi destruído por algo... Podemos até dizer que foi um míssil. O míssil foi gerado por uma instalação material. Nós não sabemos quem o construiu, mas foi construído há muito tempo, há muito tempo atrás e está situado na Sibéria, a centenas de quilômetros ao norte de Tunguska. Posso dizer-lhe que nossa investigação revelou mais do que uma explosão em Tunguska. Gostaria de compartilhar alguma coisa com você. A última vez que esta instalação lançou mísseis em um meteoro foi nos dias 24 e 25 de setembro. Foram os americanos? Eles também têm três bases. Eles também notaram esta explosão.
GB: Perdoe-me, mas alguém dirá que isto parece ficção científica.
VU: Graham, você sabe que quando falamos sobre as verdades que existe por detrás desta questão que nós fazemos somente com aqueles que têm uma compreensão da responsabilidade que estes fatos demandam. E você sabe que estamos lidando com uma tecnologia muito a frente da nossa, e capaz de fazer coisas que não podemos.
GB: Você pode ser mais específico sobre a localização desta instalação?
VU: Procure o lugar da explosão Tunguska. Ao sudeste está o grande e famoso Lago Baikal. Ao norte, está um território enorme e estéril cobrindo 100.000 quilômetros. Dificilmente as pessoas vivem lá. Não há nenhuma cidade ou cidades. Ali é onde situamos esta instalação.
GB: Você está consciente de contos ou rumores estranhos envolvendo o Planeta chamado de "X"? Se algum novo corpo celeste tivesse entrado em nosso sistema solar, os astrônomos seguramente o teriam detectado e declarariam a sua presença?
VU:  Não posso falar pelos astrônomos do leste, mas os astrônomos da nossa Academia nos dizem que não temos nada a temer. Ouvi gente falar sobre um planeta de rotação de 3.600 anos e que este planeta está numa órbita similar a da Terra, mas atrás do Sol. Sabemos que este planeta e a instalação na Sibéria estão estritamente conexos. Gostaria de dizer que acreditamos que esta instalação esteja mantendo esse planeta numa órbita estável. Se esse planeta fosse mover-se, mudar órbita, o sistema solar inteiro se tornaria instável. Esses astrônomos de nossa Academia têm certeza de que este planeta é habitado, e que esta instalação foi projetada para nos proteger. Temos certeza de que nada de perigoso acontecerá. Tudo está sob controle. As nossas investigações mostraram que a Terra tem um pulso, uma freqüência regulada com uma grande precisão que afeta tudo, e todos os seres vivos. Há aproximadamente 12.500 anos atrás, este pulso se adaptou para 360 dias. Recomendo o estudo do velho calendário egípcio, mas então um asteróide se chocou com a Terra. Acreditamos que a órbita da Terra foi alterada, artificialmente, para compensar este acidente. Nosso planeta moveu-se para mais longe do Sol, ficando com um pulso de freqüência de 365 dias.
Isto nos ensinou a acreditar que temos amigos que nos guardam, silenciosamente. Eles não permitiram que qualquer planeta, cometa ou asteróide se chocasse com a  Terra a fim de destruí-la. Isto, para nós está absolutamente claro agora.
Para os que gostam do espaço... Tenho uma verdade a falar. Todos nós estamos empenhados neste projeto e sentimos uma dor em nossos corações a cada nova descoberta. Todos nós estamos aqui, investigando esta instalação e outros materiais. Nenhum deles foi construído por russos ou americanos, mas por por outra civilisação. Talvés alguém do espaço sideral. Temos uma enorme preocupação quando pensamos no que poderia acontecer se as armas nucleares fossem lançadas ao espaço.
Gostaria de falar francamente. Esta instalação tem um sistema de poder e uma fonte de energia. Já localizamos isto. Foi durante o conflito na Iugoslávia quando notamos um aumento nesta energia. Para nós, isto era incrível, mas nós agora sabemos que esta instalação reage à agitações terrestres e conflitos sociais. Parte da nossa investigação implicou em procurar através de registros e arquivos antigos. Então nós pesquisamos através dos textos de Echutin Apposs Alanhor. Nós os chamamos o Alanhor, e eles têm pelo menos 4.000 anos. Eles descrevem esta instalação em termos científicos e com referência do que estava acontecendo lá. É assombroso.
Visitei a área duas vezes. Na primeira vez, a nossa aparelhagem detectou níveis fortes de radiação. Tenho que dizer-lhe, que era bonito e perigoso; não podería esconder isto. Os poucos habitantes locais da área souberam desta instalação, naturalmente, e eles a descreveram para nós. Eles descrevem as estruturas como sendo de um tipo de metal e as desenham para nós. Colocamos tudo sobre um mapa. Mas esta gente, e suas famílias, bem como os animais, estão sofrendo de uma doença oriunda da radiação.
Os níveis de radiação foram controlados continuamente nos últimos seis anos, e agora os animais deixaram a floresta. Gostaria de dizer alguma coisa sobre a explosão Tunguska, alguma coisa que nunca foi falada antes. Dois meses antes da explosão, todos os animais viventes fugiram da região. Era como se uma instalação tivesse sido acionada para lidar com este asteróide. Com a explosão veio o aumento de radiação. A mesma coisa está acontecendo agora, hoje.
GB: Há algum plano para organizar outra expedição à área e visitar esta base ou instalação?
VU:  A radiação é um fator a mais a ser pesquisado. Claro que outra expedição está sendo programada para os próximos anos. Nós queremos ser abertos e honestos sobre este fato. Nós agradecemos a participação internacional, mas as pessoas que nós convidarmos devem ser responsáveis aos olhos de todo o mundo. Queremos gente honesta, de mente aberta e transparente, que esteja disposta a cooperar na troca de informações para então disseminar os dados científicos. Convido você, Graham, para vir para a Rússia e visitar esta base como observador.
GB: Ficaria honrado. Obrigado.
VU: Você pode dizer que vive entre nós na Russia. Você ainda pode ter percebido que é tempo de outras pessoas verem isso, e não somente algumas.

Por: David (Sync) Muniz

Fonte da matéria: Sobrenatural.org

Link para o video da entrevista em ingles:
http://www.dailymotion.com/video/x10j7p_an-interview-with-valery-uvarov-p1_politics

Conteudo retirado de:                                    
http://www.cubbrasil.net/