15 de abr de 2011

Escravos não construíram pirâmides do Egito

Fonte: Terra

Imagem

O Egito divulgou, túmulos recém-descobertos de mais de quatro mil anos e afirmou que eles pertenceram a pessoas que trabalharam nas Grandes Pirâmides de Guizé, apresentando a descoberta como mais uma evidência de que escravos não construíram os monumentos.

A série de modestos abrigos de pouco menos de três metros de altura tinha uma dúzia de esqueletos dos construtores das pirâmides, perfeitamente preservados pela areia seca do deserto com jarros que já contiveram cerveja e pão que foi deixado para o além-vida dos trabalhadores.

As tumbas feitas com tijolos de lama foram descobertas na semana passada na área das pirâmides de Guizé, num local além de um cemitério descoberto nos anos 1990 e datados de 2575 a.C. a 2467 a.C., quando as grandes pirâmides foram construídas, nos limites do que hoje é a cidade do Cairo.

O antigo historiador grego Heródoto descreveu os construtores das pirâmides como escravos, criando o que os egiptologistas afirmam ser um mito que se propagou com Hollywood.

Túmulos de construtores das pirâmides foram descobertos pela primeira vez na área em 1990 quando um turista passou por um muro que depois foi descoberto ser uma tumba. O arqueólogo-chefe egípcio

Zahi Hawass afirmou que as descobertas mostram que os construtores eram trabalhadores pagos e não os escravos do imaginário popular.